VOCÊ NÃO É A GABRIELA! (Bárbara Cortez)

Por: Bárbara Cortez

As pessoas sempre falam que me acham engraçada, espontânea, extrovertida. Que eu sou legal, que gostam de ficar perto de mim.
Parece algo bobo, não é? Mas eu fico muito feliz quando falam isso pra mim, pois nem sempre foi assim.
Mal sabem quanto tempo da minha vida eu passei me moldando, me policiando, me transformando nessa Bárbara que sou hoje, e que ainda tem tanto pra melhorar.

Eu não queria ser a prima insuportável que ninguém chamava para brincar, e eu era.
Nem a menina chata que ninguém queria ser amiga, e eu era. Eu não queria ser eu, eu não queria ter que conviver com essa pessoa, eu não queria acreditar que eu estava fadada a ser desagradável pelo resto da vida.

Então comecei a perceber que muita coisa que eu não queria ser, eu podia simplesmente mudar!

Mudei meus pensamentos, mudei a forma como eu me enxergava, e a forma como eu enxergava a vida. Passei a confiar em mim, acreditar em mim, a me achar linda, inteligente e capaz. Passei a reclamar menos, a ver o lado bom das coisas e, principalmente, parei de me lamentar e comecei a agir.

Eu mudei.
E as coisas naturalmente mudaram também.

Não estou escrevendo isso para dizer que minha vida é maravilhosa, claro que não, até porque todo mundo tem seus momentos ruins e que devem ser vividos e respeitados, estou escrevendo para tentar mostrar que a mudança na nossa vida só depende da gente. Nós sabemos EXATAMENTE o que precisamos fazer para melhorar, mas não fazemos. Simplesmente porque somos acomodados demais, egoístas demais, negativos demais e mais uma tonelada de coisas que nos impedem de dar o primeiro passo.

O que mais me deixa triste em uma pessoa é aquela síndrome de Gabriela:

“Eu nasci assim, eu cresci assim, eu sou mesmo assim, vou ser sempre assim…”

Não, por favor! Não faça isso com você.

Reclamar de tudo é hábito e não personalidade; grosseria é hábito e não gênio forte; egoísmo, preguiça, chatice, negativismo, sedentarismo, medo, comodismo, tudo isso são hábitos, você se acostumou a ser assim, mas isso não quer dizer que você precisa ser assim pra sempre, dá pra mudar.

Seja a pessoa que você quer ter por perto, isso não é falsidade, isso é abandonar maus hábitos.

Mude.

Pare de esperar o melhor momento, pois ele acontece agora.

Seu corpo, sua saúde, suas conquistas, tudo está esperando por você, pela sua atitude. Faça a diferença na sua própria vida, pare de dar desculpas e comece a dar soluções.

A vida tá aí lotada de possibilidades!
Tá ruim? Muda!

E, quando olhar para trás, vai receber a maior de todas as recompensas: a satisfação de ter aproveitado cada oportunidade de se tornar alguém melhor, de saber que todos os dias você tenta ser a melhor versão de si mesmo.

(Bárbara Cintra)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *