GCM Osasco faz balanço das ações da instituição no 1º trimestre do ano

A Guarda Civil de Osasco (GCM) efetuou neste 1º trimestre aproximadamente 10.000 rondas em próprios municipais e atendeu, neste período, o total de 1.032 ocorrências. Destas 347 foram de solicitações da população e outras 685 de cunho criminal. A corporação implantou diversas operações que atuam continuamente e ostensivamente no combate a criminalidade, uso de drogas ilícitas e perturbação da ordem pública, entre outras. Como resultado dessas ações, a GCM conseguiu diagnósticos positivos e essenciais para a elaboração de estratégias e tomada de decisão no que tange aumentar a segurança pública no município.

O Policiamento Comunitário Escolar – retomado no início de janeiro-, realizou cerca de 300 visitas por mês nas 140 unidades escolares da rede municipal de ensino. E adotou o uso do teatro de fantoches para despertar de forma lúdica os pequenos agentes multiplicadores sobre informações de segurança.

A Operação “Amanhecer Seguro”, para coibir as práticas de arrastões em vias públicas, com ênfase nos pontos de ônibus, resultou na recuperação de mais de 40 veículos, principalmente as motocicletas, mais utilizadas na prática desses arrastões. E a Operação “Lazer Seguro”, com rondas dentros dos parques públicos, está propiciando aos munícipes utilizar esses locais com mais tranquilidade e segurança.

Outro fator de destaque é a quantidade de apoios prestados aos órgãos distintos da administração pública, que contabilizaram mais de 260 atendimentos, das mais variadas demandas. Entre elas, a “Lei Seca”, que inibe o comércio ilegal de bebida alcoólica e que ainda busca diretamente fazer valer a lei de perturbação de sossego. A Operação Pancadão, que além de atuar diretamente no combate a práticas ilícitas, como roubos e furtos de veículos, também atua em infrações de trânsito, tráfico de entorpecentes, venda de álcool a crianças e adolescentes e prostituição e por fim, a operação de “Combate ao despejo de entulho” em vias públicas.

Além de toda essa abordagem, o Núcleo de Operações Especiais (NOE) da GCM Osasco age em situações de maior criticidade operacional para potencializar os resultados de forma segura, rápida e eficaz.

“A Guarda Civil está adotando uma nova metodologia organizacional, aplicando-se uma gestão estratégica, ou seja, ações são debatidas desde o alto comando até o servidor da área operacional, fomentando a mudança de cultura em conjunto “pensar estrategicamente”. Com a filosofia de Polícia Comunitária, de aproximação entre população e governo, nos baseamos na premissa de que tanto a corporação quanto a comunidade devem trabalhar juntas para identificar, priorizar e resolver problemas contemporâneos, como crimes, drogas e desordens”, comentou o comandante da GCM Osasco, Raimundo Pereira Neto.