Governo de SP faz cortes na Orquestra do Theatro São Pedro

Fonte: G1.com

A Orquestra que completa 100 anos de existência e é a única especializada em ópera no país, está passando por momentos complicados. Uma das medidas para a Secretaria de Cultura de São Paulo, reduzir a crise, foi desligar 19 músicos profissionais.

A Orquestra contava com 52 músicos desde 2012, e era administrada pelo Instituto Pensarte. Uma nova entidade privada assumirá a gestão, o valor a ser pago para a OS será de R$ 7,4 milhões de reais, para gerir por oito meses. Que contará com 33 músicos profissionais e 22 bolsistas da Escola de Música do Estado de São Paulo.

Segundo o governo, o valor de R$ 7,4 milhões pago à OS permitirá a montagem de quatro óperas, 30 recitais de música de câmara e 14 concertos sinfônicos.

Músicos da orquestra publicaram uma nota no Facebook:

“A transição do contrato de gestão, sem licitação, extingue o projeto original da orquestra nos moldes atuais, ou seja, com 52 músicos profissionais, altamente capacitados, que realizaram rigoroso processo seletivo e, desde então, vem executando um trabalho de excelência artística”.

O diretor artístico da Orthesp, o maestro Luiz Fernando Malheiro, também divulgou uma nota:

“A Orthesp deixa de ser uma orquestra profissional para ser uma orquestra mista, com grande perda de sua qualidade naturalmente. É muito triste que um projeto tão bem sucedido, que nos últimos anos atingiu uma qualidade muito alto e desenvolveu uma nova maneira de se fazer ópera no Brasil, seja desmontado, e que essas, talvez, necessárias modificações, tenham sido feitas de maneira unilateral, sem uma conversa com todas as partes envolvidas”.