“Hoje, inundados de dor em nossos corações“, diz escola do Tamboré onde jovem morta em acidente de helicóptero estudava

A Escola Castanheiras, no Tamboré, em Santana de Parnaíba, onde Lavínia de Ávila Araújo, de 12 anos, cursava o sétimo ano, postou em suas redes sociais uma homenagem à jovem, uma das cinco vítimas de um acidente de helicóptero em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, na noite de sábado (3).

“Hoje, inundados de dor em nossos corações, homenageamos a nossa querida aluna Lavínia, que era uma menina doce, muito tranquila e sempre sorridente e cercada de amigos. Empenhada em seus trabalhos, gostava imensamente de compartilhar experiências”, postou a escola. “Somos aquilo que fica depois que partimos. Lavínia, você estará sempre presente em nossos corações”.

“Estamos certos de que um acontecimento trágico como esse afetará de diferentes maneiras a todos nós e, principalmente, os alunos que fazem parte da mesma série de Lavínia”, continuou a unidade de ensino.

Além de Lavínia, morreram no acidente a mãe dela, Natalia de Ávila Treu, de 42 anos, a avó, Iracema de Ávila, 73, Marcos Chindi Minomo, 54, que seria um consultor imobiliário, e uma quinta vítima, que seria o piloto, que não teve o nome divulgado até o fechamento desta matéria.

O helicóptero, modelo AW 109, prefixo PP-MTX, fabricado em 2001, tinha saído de Juquehy, no litoral norte paulista, rumo a um heliponto de Osasco.

A aeronave, com capacidade para sete pessoas, estava registrada em nome de uma empresa do ramo imobiliário com sede em Barueri.

As causas do acidente são investigadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

 

Visão Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.