Mais de 32 mil pessoas já retiraram gratuitamente conversores digitais em Osasco

A parceria entre Prefeitura de Osasco e Seja Digital, entidade administradora e responsável por operacionalizar a migração do sinal analógico para o sinal digital da televisão brasileira, foi formalizada na sexta-feira, 17.

Em Osasco, 57,5 mil pessoas serão beneficiadas com este acordo e deste total, 57% já retiraram os kit’s digitais gratuitos nos postos dos Correios e agora contam com o sinal digital em suas casas.

Representando o prefeito de Osasco, Rogério Lins, a chefe de gabinete, Elsa Oliveira assinou o termo que efetiva o acordo e ressaltou a importância desta parceria para milhares de osasquenses. “Esse acompanhamento e orientação nas unidades é muito importante, porque tem muita gente que acredita que após o dia 29 de março não conseguirá mais assistir TV”, afirmou.

A reunião também contou com a presença da secretária de Assistência Social, Suzete Franco, do diretor geral da Seja Digital, Antônio Carlos Martelletto, e da gerente regional de São Paulo, Cecília Zanotti.

“O objetivo dos representantes da Seja Digital nos dez CRAS em Osasco é para que seja feita a orientação e o cadastro das famílias beneficiadas por programas do governo federal, como Bolsa Família, Cadastro Único e Bolsa Aluguel. Essas pessoas vivem em extrema vulnerabilidade social e teriam uma dificuldade enorme para adquirir o conversor digital, por isso, recebem gratuitamente todo material, orientação para instalação e encaminhamento para retirar os kit’s nos postos dos Correios”, explicou Suzete.

O kit contempla antena para TV digital, conversor e controle remoto. Para saber se poderá retirar, o munícipe deve consultar a página do Seja Digital (sejadigital.com.br/kit) e inserir, no campo disponível, os números do seu CPF ou do NIS – mesmo número do PIS, encontrado na carteira de trabalho ou ainda ligar gratuitamente para o número 147. Se tiver direito, o usuário realizará um agendamento com local, dia e horário de sua preferência.

Antônio Carlos Martelletto ainda orientou qual o caminho para pessoas que não são cadastradas em programas sociais, mas se enquadram por não terem renda para adquirir um kit. “Essas pessoas terão duas opções, elas podem procurar os CRAS para se cadastrarem num programa social ou, ainda, procurar representantes do Seja Digital para que possamos realizar uma avaliação”, explicou.