Programa “Fale com o Prefeito” aproxima cidadão da administração em Osasco

Fonte: Comunicação Prefeitura de Osasco

 

A Sala Osasco abriu antes das 8 da manhã para a realização da 2ª edição do programa “Fale com o Prefeito”, na quarta-feira, 5/7. O programa é um canal criado pela prefeitura para ampliar e aproximar o acesso dos cidadãos, garantindo que o morador possa apresentar suas sugestões, dúvidas, críticas e elogios diretamente aos secretários municipais e ao prefeito.

Depois de duas edições na Sala Osasco, o prefeito Rogério Lins já anunciou que vai levar toda a estrutura do programa para os bairros. Assim que a agenda estiver definida, a Prefeitura dará ampla divulgação no bairro a ser beneficiado.

Na quarta-feira, 5/7, com o suporte das secretarias e técnicos da prefeitura, o prefeito Rogério Lins iniciou o atendimento às 8 horas. Na programação havia 35 pessoas, que haviam agendado participação no programa por meio das redes sociais e da Central 156. Entre esses também estavam aqueles que não conseguiram atendimento na primeira edição do programa e eram considerados prioritários.

Na sequência, o atendimento foi aberto para a população em geral, por meio de senhas, distribuídas em dois horários, às 10h e às 13h. Segundo Elsa Oliveira, chefe de gabinete, que coordenou o evento, a Prefeitura pensou em várias estratégias para otimizar o atendimento, dando atenção aos casos prioritários de idosos, gestantes, deficientes e mães com crianças de colo.

A 2º edição do “Fale com o Prefeito” contou com grandes diferenciais. O registro dos atendimentos foi totalmente informatizado, utilizando o mesmo sistema de tecnologia da Praça de Atendimento de Finanças, Departamento de Uso e do Solo (DUS) e dos Portais dos Trabalhadores, que faz a triagem e encaminhamento do atendimento. A informatização permitiu unificar os registros das demandas ao sistema da Central 156, encaminhando as solicitações aos respectivos setores para tratativas de imediato.

Foram mais de 12 horas de atendimento ininterrupto. O serviço, que começou antes das 8 horas, foi encerrado às 21 horas. Durante esse período, 185 munícipes foram atendidos pelo prefeito Rogério Lins.

Fazendo o balanço básico dos dados registrados pelo Sistema da Central 156, os bairros Vila Ayrosa e Piratininga foram os que tiveram o maior número de pessoas no evento e os principais assuntos foram: emprego, demora na realização de exames, problemas com rescisão de Contrato de Trabalho na prefeitura, problemas relativos a moradia, entre outros.

Dentre as secretarias com mais demandas estão: Administração (28); Saúde (27); Habitação e Trabalho (11 cada) Educação (9); Comércio e Abastecimento (8) e Finanças (5).

As próximas edições do programa não ocorrerão mais na Prefeitura. Segundo Lins, a equipe estuda a data, o local e o bairro que receberá a estrutura do “Fale com o Prefeito” e assim que tudo estiver definido será feita ampla divulgação à imprensa e à população.

Depoimentos

Claudino Alves Ribeiro foi o primeiro da fila a ser atendido pelo prefeito, dos casos pré-agendados. Ele trabalha numa ONG em Osasco que atende adolescentes e veio reinvindicar políticas públicas sobre esse assunto. “Essa iniciativa é um excelente canal de estreitamento de relacionamento entre munícipe e administração pública. Fui muito bem atendido por todos e realmente vi que esta gestão está fazendo a diferença”, destacou.

A professora de educação física e integrante do Clube dos Desbravadores do Rochdale,  Hérica Monteiro, primeira munícipe a ser atendida por senha, também aprovou a iniciativa. “Expliquei ao prefeito sobre as limitações da instituição filantrópica em que atuo e a dificuldade que estamos tendo para locarmos um ônibus para levar as crianças que assistimos – com idade entre 10 a 15 anos – para o acampamento sobre civismo, recreação e estudo ambiental que acontecerá entre os dias 25 a 30/7, em Barretos. Ele foi solícito e conseguiu providenciar o transporte”.

Elza de Jesus dos Santos, 78 anos, moradora do Pestana, está há tempos tentando o auxílio aluguel. Ela tem uma filha de 55 anos deficiente e gasta muito com medicamentos, comprometendo a renda. Ela recebeu uma ligação da equipe de assessoria do prefeito  no dia 4 pedindo que viesse conversar com ele sobre sua demanda. “Ele é jovem, mas tem uma visão pra frente e compreendeu o meu sofrimento. Me direcionou à Secretaria de Habitação”, disse emocionada.

Reginaldo do Nascimento e Lucineide Bezerra da Silva, ambos com 29 anos, vieram pedir emprego e uma liberação para trabalhar com o comércio ambulante. “É uma porta que se abre para melhorar a vida da população”, disse Nascimento.