Rogério Lins diz ser contra fim dos cobradores de ônibus

Fonte: Visão Oeste/IstoÉ

 

Um dos projetos de Doria, que tem sido muito comentado, é de que em até três anos, acabe a função de cobradores de ônibus em São Paulo. Segundo Doria, a extinção da função deve ocorrer “gradualmente”, com a transformação dos cobradores em motoristas. O sindicato que engloba as duas categorias classificou a medida como “traição” do prefeito e promete “plano de luta” contra a medida.

“Não faremos de maneira repentina. Faremos gradualmente, sem nenhum prejuízo àqueles que são cobradores. Eles terão direito à preservação dos seus empregos, só que qualificados como motoristas”, disse Doria na segunda-feira, 6, no Terminal Bandeira, na região central. À tarde, em outro evento, ele complementou: “Será feito ao longo desses próximos dois a três anos.”

(Mister Shadow/Estadão Conteúdo)

Com isso, Doria aumentaria a tarifa em até 6% para passageiros que pagarem em dinheiro. Hoje, cerca de 15% das receitas do sistema de transporte vem de pagamentos feitos em dinheiro, segundo relatório de receitas da SPTrans.

rogerio-lins-deve-ser-transferido-hoje-para-p

Com isso, nesta quarta-feira (8) o atual prefeito de Osasco, Rogério Lins, se manifestou contra a possibilidade de a mesma medida ser adotada em Osasco.

“Sou contra. É uma decisão que envolve as concessionárias [do transporte público municipal], mas a gente não pode deixar de se manifestar contrariamente a qualquer prejuízo aos trabalhadores em nossa cidade”