“desgaste natural” de uma borracha e não há risco de queda, diz Prefeitura sobre vão de ponte

Mesmo após vistoria do prefeito de Osasco, Rogério Lins (Podemos), e de técnicos da administração municipal, que garantiram não haver risco de queda no Complexo Viário Fuad Auada, que liga a zona Norte ao Centro de Osasco, via avenida Maria Campos, o vereador Ralfi Silva (Podemos) divulgou laudo de engenheiro cobrando ações emergenciais e o vão no local foi exibido no “Brasil Urgente”, da Band, na tarde desta terça-feira (20).

Em vistoria na manhã de hoje, Lins declarou que a fissura no viaduto é causada por “desgaste natural” da borracha da junta de dilatação. “Já está sendo licitada e será substituída nos próximos dias”.

No domingo, após uma ponte ceder na Marginal Pinheiros, em São Paulo, na semana passada, Ralfi foi ao Complexo Fuad Auada e disse que o vão no viaduto osasquense é algo “muito grave”. “Diante da gravidade do que aconteceu em São Paulo, a gente não pode ficar à mercê”.

Hoje, o parlamentar divulgou um laudo feito pelo engenheiro Marcio Rogerio Stuani que pede a contratação de empresas para urgente análise da estrutura e troca emergencial das juntas de dilatação da ponte.

Lins negou risco de desabamento no Complexo Viário Fuad Auada: “Não há problema estrutural em suas vigas de sustentação, como no caso do viaduto de São Paulo”, afirmou.

O prefeito de Osasco assegurou: “Segundo os engenheiros e laudo da Defesa Civil, o desgaste da junta não oferece risco à população, inclusive afirmam não ser caso de interdição”.

 

Visão Oeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.