Família Acolhedora de Osasco promove reunião virtual dia 13/7 para quem deseja ser voluntário

A Secretaria de Assistência Social (SAS) da Prefeitura de Osasco promove na terça-feira, 13/7, às 18h, reunião virtual para apresentação do programa Família Acolhedora Canguru. Para participar é preciso se inscrever via WhatsApp pelo telefone (11) 99689-6568 e enviar um “oi” para ter acesso ao serviço. O encontro será realizado pela plataforma Google Meets e o link será enviado previamente aos inscritos.  

O serviço foi destaque domingo, 5/7, no Fantástico. A reportagem fala sobre a necessidade de aumentar o número de famílias acolhedoras no país, em razão do número de crianças e adolescentes que precisam desse suporte. Confira a matéria no link globoplay.globo.com/v/9659486/ 

Após a exibição, mais de 70 famílias já procuraram a Família Acolhedora de Osasco, vinculada à Secretaria de Assistência Social.  

“Hoje existem cerca de 50 crianças e adolescentes em serviços de acolhimento. Quanto mais famílias se inscreverem para conhecer o programa, melhor. Primeiro fazemos uma avaliação para ver se a pessoa ou família se enquadram no serviço. Assim que a família aceita participar do Família Acolhedora, as crianças e adolescentes permanecem acolhidos na casa de famílias voluntárias pelo tempo que for necessário até que a Vara da Infância e Juventude decida o desfecho do acolhimento”, comentou o secretário de Assistência Social, Cláudio Piteri.  

O serviço consiste em cadastrar e capacitar famílias da comunidade para acolher em suas casas por um período indeterminado bebês, crianças, adolescentes ou grupos de irmãos em situação de risco pessoal e social, cuja família perdeu a guarda temporária por determinação judicial da Vara da Infância, até que haja a reintegração familiar ou adoção. 

“É aí que entra o Família Acolhedora, pois essas crianças e adolescentes são encaminhadas para os serviços de acolhimento institucional, e, ao invés de ficar numa instituição, ficam com uma família, podendo ter um vínculo afetivo familiar nesse período”, explicou a diretora de Proteção Social da SAS, Danielle Bueno.  

“Com o serviço, a criança não precisa ficar institucionalizada e sim com uma família, enquanto aguarda a conclusão de seu processo, quer seja retornar para a família de origem ou, na impossibilidade, ser encaminhada para uma família substituta, contribuindo muito para seu desenvolvimento, principalmente quando se trata da primeira infância. Ela terá melhor relação social quando adulta ou mesmo na adolescência”, reforçou Cláudio Piteri, secretário de Assistência Social.  

A psicóloga Andrielly Darcanchy é uma das profissionais que acompanham as famílias, crianças e adolescentes. Ela atua nesse projeto desde 2019, quando o programa foi implantado no município. “Realizamos um acompanhamento muito próximo com a família que está no serviço de acolhimento. Essa rotina de contato regular nos ajuda a saber como está sendo a experiência e a convivência da família e das crianças e adolescentes, gerando uma relação de apoio e confiança a ambos. Para isso, fazemos um trabalho de conscientização com as famílias, para entenderem que não é uma adoção, mas sim uma acolhida temporária”.   

O casal Ney Alves e Elizangela Oliveira Alves faz parte da Família Acolhedora de Osasco e já está acolhendo a oitava criança. Eles entendem que são tutores temporários e que nesse período o fundamental é oferecer muito amor para essas crianças e adolescentes até que a situação seja resolvida. “É um trabalho social muito intenso, de dedicação e carinho. Em casa contamos também com uma rede de apoio familiar, cada um ajuda de uma forma. É muito gratificante!”, destaca Elizangela.  

Para se cadastrar no programa como voluntário é preciso atender a alguns requisitos:  

– Morar em Osasco ou municípios vizinhos; 

– Ter mais de 25 anos; 

– Não ter interesse em adoção; 

– Estar em boas condições de saúde física e mental; 

– Ter a concordância de todos os membros da família; 

– Ter disponibilidade para participar do processo de habilitação e das atividades do serviço; 

– Ter uma fonte de renda, além da bolsa auxílio fornecida pelo município no valor aproximado de R$ 1.200; 

– Não estar respondendo a processo criminal ou relacionado à infância e juventude 

– Ter uma rede de apoio (pais, tios, avós, amigos, etc.) 

Serviço  

Reunião virtual de apresentação do programa Família Acolhedora de Osasco 

Dia: 13/7 

Horário: 18h 

Inscrição via WhatsApp. Adicione +55 11 99689-6568 à agenda do seu celular, mande um “oi” e siga as instruções 

O encontro será realizado pela plataforma Google Meets e o link será enviado previamente aos inscritos.  

Conheça as redes sociais da Família Acolhedora (@familiaacolhedoracanguru)  


PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO – www.osasco.sp.gov.br